Logo do cpf
 
Página principal Edífício Funções Exposições Património História Notícias Perguntas Frequentes Contactos Ligações Loja Mapa do site
   
 
Documento do Mês

 
  Notícias
 
Navegação Rápida
 
     
English Version
 
site da DGLAB  
:: Documento do mês
Por proposta da Comissão Europeia o Parlamento Europeu adotou a Decisão que estabelece 2018 como o Ano Europeu do Património Cultural (AEPC 2018).

O AEPC 2018 é enquadrado pelos grandes objetivos da promoção da diversidade cultural, do diálogo intercultural e da coesão social, visando chamar a atenção para o papel do património no desenvolvimento social e económico e nas relações externas da União Europeia.

O Centro Português de Fotografia associa-se a esta iniciativa através do projeto Documento do Mês - através de peças do seu acervo mostrará peças de património material e imaterial português e europeu.


Arquivos e Coleções

 
Porto, Museu de Arte Contemporânea/Fundação de Serralves  
 
   

Jan Versnel
Porto, Museu de Arte Contemporânea/Fundação de Serralves
Gelatina prata, Dimensões 60 x 60 cm
Coleção Nacional de Fotografia, CNF 1098

Em 1991, o premiado arquiteto Álvaro Siza Vieira foi convidado a projetar o novo museu nos espaços da Quinta de Serralves. Em 1996, tiveram início a construção do edifício e a elaboração do programa museológico.
O Museu de Serralves é o mais importante museu de arte contemporânea em Portugal, situado nos espaços únicos da Fundação de Serralves, que incluem um Parque e uma moradia. O Museu estabelece um diálogo direto com a Casa de Serralves e os jardins envolventes. Em lugar de uma fachada monumental, o Museu define-se por uma articulação harmoniosa entre diferentes elementos arquitetónicos e o ligeiro declive do terreno onde o edifício está implantado.
O Museu foi inaugurado a 6 de Junho de 1999 com a exposição "Circa 1968”.

 
   

Fundo Bibliográfico

 
MAR NOSSO: FOTOGRAFIA DE ARTUR PASTOR  
   


“MAR NOSSO: FOTOGRAFIA DE ARTUR PASTOR”

Tinha conhecimento que Artur Pastor (1922-1999) é considerado um dos grandes fotógrafos do século XX?
Artur Pastor que ficou eternizado entre os seus pares como “o domador da rolleiflex” ou “o poeta da fotografia” (CML e AML 2014) iniciou o seu itinerário fotográfico nos anos 40 e produziu continuamente, durante toda a sua vida. A preto e branco procurou encontrar um registo simples e capaz de destacar a beleza natural das coisas. O mar e a vida de quem nele labora foram, também, uma constante dos seus registos fotográficos.
A publicação reúne numa narrativa fotográfica o quotidiano de homens e mulheres do mar. Os registos fotográficos promovem o fascínio pelo mar e permitem conhecer as comunidades marítimas portuguesas entre 1942 e 1998.

Pastor, Artur. 2017. Mar nosso: fotografia de Artur Pastor. Ílhavo: Câmara Municipal de Ílhavo. Lisboa: Âncora.
Câmara Municipal de Lisboa. Arquivo Municipal. 2014. Artur Pastor. Lisboa: CML. AML.
Acedido a 08 de junho de 2018.
http://arquivomunicipal.cm-lisboa.pt/fotos/produtos/catalogoarturpastor_76694821053eb38131caac.pdf



 
Equipamento Fotográfico em destaque

 
Murer Express Newness, ca. 1900  
   


Murer Express Newness, ca. 1900
Construtor Murer & Duroni, Milão, Itália

Coleção de Câmaras e Equipamento Fotográfico do CPF / Coleção António Pedro Vicente, PT/CPF/CCEF/APV/00126
© Centro Português de Fotografia/DGLAB/MC


É de Itália que nos chega esta câmara que permite realizar 12 exposições de 6,5x9 cm. Para fotografar, as chapas de vidro são colocadas em posição por um mecanismo de rotação que se encontra no seu interior.

Do ponto de vista histórico, este tipo de câmaras, denominadas “detetive”, marcam o final de uma era, atendendo a que a película começa então a ocupar o seu lugar na história. Eram câmaras de aspeto simples e modesto, que se distanciavam das habituais câmaras de fole e que permitiam fazer fotografias sem o uso do tripé, sendo, por isso, muito mais discretas. Terá sido esta conjugação de fatores que deu origem ao seu nome “detetive”.

 
© 2018 Centro Português de Fotografia | Otimizado para uma resolução de 1024x768 pixel